sábado, 31 de dezembro de 2011

Esta noite
ouvem-se
os sons
da música
duma
qualquer 
festa
lá fora

(Manuela Reis)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Há pêndulos
por toda a casa
marcando horas
desencontradas
como o desatino dos teus dias

(Manuela Reis)

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

O poeta                                    
apenas
pinta                                         
de memória                            
paisagens                                  
remotas                                   
conhecidas                                 
que de longe
o chamam

(Manuela Reis)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Torcidas 
desbotadas 
restauro 
as coisas 
partidas 
com a Ternura 
que outras eras 
me ensinaram 

Teço rendas 
dum serão 
antigo 
Acordes 
das músicas 
de todos os tempos 

(Manuela Reis)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Breve passou o tempo
nos Natais de outrora
Não percas

o momento
de lançar a âncora
pra sempre
no de agora


(MR)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Protecção

No Centro da Casa
colocarei uma bétula.

É a minha maneira
de dizer quanto vos amo.


(MR)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Lembra-me perfeitamente dum biombo
atrás do qual se guardavam todos
os brinquedos da minha infância.
É um biombo mágico porque posso,

como outrora, afastá-lo
e brincar com a minha memória.

(Manuela Reis)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Memória
 
Minha
memória
percorre
todas as coisas,
atraca
em todos
os portos
com todos os navios.
Percorre
os continentes
e volta às Origens.
Ponto de Partida.
 
(Manuela Reis)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Aparentemente

A nós gerações intercalares
cabe enterrar os tios
e voltar serenamente para casa
dar de comer aos filhos
(Fotografia de Miguel Pestana)















Hóspede de toda a gente
parto no dia seguinte  


(MR)

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Chove
chove
sem parar na casa onde nasci.
E eu não tenho chave.
Chove
chove
sem parar
na casa com clarabóia
onde nasci.
E eu sem chave.

(MR)
 Fotografia de Miguel Pestana












  

Há compras que eu farei

só pró jantar
mas outras há em que não virei  
(MR)
 






quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

No meu sonho chovia imenso
Meto as mãos nos bolsos
Poças d'água
peixes nadando
Já não alugo a casa pensei
Há seres lá dentro
à minha espera 
(MR)   


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

sábado, 10 de dezembro de 2011

Notícia

Fugi
esta madrugada
Estavam ainda acesas
as luzes
da tipografia
Passei pelo jornal
Não dei a notícia
continuei a corrida
Não me detive
Só a mim diz respeito
E afinal
ninguém põe no jornal:
"Fugiu de si mesma

fulana de tal..."     (MR)