quinta-feira, 4 de abril de 2013

No escuro da noite

No escuro da noite, de súbito,
iluminam-se as margens duma
folha branca onde aparecem,
entre os meus dedos, as palavras
que deixam adivinhar o novo dia:
a aurora, a límpida madrugada!...


(Manuela Reis)

1 comentário:

  1. Palavras transparentes. Mágicas. Perfumadas. Carregadas de memória.

    ResponderEliminar